domingo, 15 de setembro de 2013

Amor também desenvolve tecnologia


O amor de um pai e a necessidade de um filho têm um potencial incalculável de mudar os status das coisas. Vira e mexe a gente ouve histórias incríveis de criatividade e superação e, hoje, o Novuniverso abre espaço para uma delas.
 
Mudar o mundo inteiro é algo bastante complexo, mas cada um pode mudar o próprio mundo ou o mundo de alguém muito próximo. Empreendedorismo social também é isso.


Por causa da pequena Clara, que tem paralisia cerebral, o grande Carlos Edmar Pereira, do Recife, resolveu usar seus conhecimentos de analista de sistemas e sua rede de contatos – profissionais de tecnologia, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais – para criar o primeiro aplicativo em português para que ele, a mulher e a filha pudessem se entender melhor.
 
Com som, milhares de figuras e incontáveis combinações, dá para compreender o que a criança tem vontade de fazer, o que deseja comer…
 
Livox® é um produto registrado pela Agora Eu Consigo Tecnologias de Inclusão Social Ltda, que compartilha o aplicativo de graça. No próprio site, a empresa se descreve como do “segmento de Negócios Sociais, voltada para o desenvolvimento de produtos, soluções, serviços e treinamentos que viabilizem a inclusão social e a acessibilidade de pessoas com necessidades especiais ao convício familiar e social”.
 
O aplicativo melhorou a vida de Clara e de centenas de pessoas, como conta Lenilda Maria de Souza no vídeo produzido pelo blog Mundo Possível sobre a experiência da filha dela, Paloma


Na tentativa de suprir as necessidades como a dessa família do interior de Pernambuco, que não tem como comprar um computador, a Agora eu Consigo recebe doações de tablets usados, que são formatados e depois seguem só com o Livox® para diversas partes do Brasil.
 
A criação não é de agora, mas Carlos não cansa de aprimorá-la. Este ano, o Livox® ganhou voz masculina e emoções. Agora também é possível rir, chorar, bocejar, assobiar…


O objetivo da família, cada vez mais ousado (porque empreendedorismo social também é isso) é conseguir apoio do Governo para que a tecnologia chegue às escolas.
 
Carlos poderia ter se conformado com o silêncio de Clara. Que bom que preferiu abraçar o desafio e aproveitar a lacuna para dar sua contribuição!